Engines MySQL – Archive

Ola pessoal,

Hoje iremos falar do Engine Archive, suas caracteristicas e vantagens.

O Archive é usado para armazenar grandes volumes de dados em um formato compactado no MySQL, ocupando um espaço muito menor do que os demais engines.

Sabe aquela tabela de log, histórico, contato que você quase não a utiliza? Então, uma boa opção de trabalho é utilizar o Archive, por conta do armazenamento em disco e também na visualização destes dados.

Algumas vantagens e observações:

– Sua estrutura é representada pelo arquivo .frm
– Diferente do MyISAM, seus arquivos de dados são representados pelo: .ARZ , .ARN (apenas no momento de alguma otimização da tabela) e .ARM (Meta dados criado em versões anteriores ao MySQL 5.1.15)
Continue lendo

Engines MySQL – MyISAM

Olá pessoal,

Neste e nos próximos posts, iremos tratar dos engines disponíveis no MySQL! Em alguns tópicos já falamos sobre a diferença entre InnoDB e MyISAM e como consultar o Status das Engines no servidor.

Vamos explorar um pouco mais as características de cada engine, tanto como a estrutura e vantagens, começando hoje com o MyISAM.

O MyISAM foi o engine default do MySQL em versões anteriores a 5.5, ou seja, se uma tabela fosse criada sem a especificação do engine, ela era atribuída ao MyISAM.

Uma tabela MyISAM tem referência de três arquivos físicos no servidor, são eles:

.frm: armazena o formato da tabela
.MYD: armazena os dados da tabela
.MYI: armazena os índices da tabela

A referência é feita com o nome da tabela.extensão, e todos os arquivos são armazenados no datadir (diretório de dados) do servidor. Com isso, já podemos apontar a primeira vantagem ao utilizar o MyISAM:

Os índices de cada tabela são separados em arquivos diferentes dos dados, trazendo um aumento de performance no momento da consulta.

Devido a esta estrutura, as tabelas MyISAM ocupam pouco espaço no disco e também são portáteis, ou seja, você consegue copiar os arquivos de cada tabela em um servidor, e ‘exporta-los’ para outro servidor de forma direta, sem comprometer a integridade dos dados.

Porém antes de fazer isso, certifique-se que o servidor MySQL de destino tenha a mesma versão da origem, que não exista nenhum processo de escrita na tabela a ser copiada/migrada, ou de um stop no mysqld para copiar os arquivos.
Continue lendo